Página do Evento

Retornar

 

Apoio:

Programa de Pós-Graduação

em Ciências da Linguagem

www.unisul.br/linguagem

 

 

 


IX Encontro do Círculo de Estudos Linguísticos do Sul - CELSUL

Universidade do Sul de Santa Catarina - UNISUL

Palhoça - SC, de 20 a 22 de outubro de 2010


PROGRAMAÇÃO DOS GRUPOS DE TRABALHO

 

Para encontrar seu trabalho, use o comando Localizar (basta usar a tecla Control + a letra F e digitar o seu nome).

Bloco B – sala 121

GT 1 – Web 2.0: questões de poder, identidade e cultura

Coordenadores: Marcelo El Khouri Buzato (UNICAMP); Cristine Gorski Severo (UFSCar)

20/10 (14:30-16:00)

1. Apontamentos para uma análise do poder em práticas discursivas e não-discursivas na Web 2.0 – Marcelo El Khouri Buzato; Cristine Gorski Severo

2. Cartografias da violência: juventudes, identidades e Internet – Monica Vasconcellos Cruvinel

3. As relações de poder entre editores da Wikipédia – Paulo Henrique Souto Maior Serrano

20/10 (16:30-18:00)

1. Arrisco e não pisco: cultura livre e voluntários involuntários – Ana Cristina Fricke Matte

2.  Práticas digitais interculturais em língua inglesa no Facebook: um estudo exploratório – Barbara Cristina Gallardo

3. Design Participativo de ambientes de aprendizagem baseados na Web: aprendendo a participar – Delfina Cristina Paizan

4.  A aprendizagem de inglês na infância, a Web 2.0 e o Terceiro Espaço: movimentos de territorialização-desterritorialização-reterritorialização – Camila Lawson Scheifer

21/10 (14:30-16:00)

1. A construção identitária do sujeito blogueiro na/pela campanha publicitária do Jornal Estadão – Gislaine Gracia Magnabosco

2. Questões sobre autoridade em blogs jornalísticos – Marcela de Paula Braganhol

3. Cibercultura sertaneja: considerações sobre a presença na web da Cultura de Delmiro Gouveia, Alagoas – Felipe de Paula Souza

Bloco B – sala 211

GT 2 – Tradução e Interpretação de Língua de Sinais

Coordenadores: Tarcísio de Arantes Leite (UFSC); Sueli Fernandes (UFPR)

20/10 (14:30-16:00)

1. Ensino a distância e formação de tradutores/intérpretes – Silvana Aguiar dos Santos

2. A concepção inicial de tradução dos alunos do bacharelado Letras Libras – Maria Cristina Pires Pereira

3.  Particularidades lexicais, semânticas e pragmáticas de conceitos abstratos na tradução e interpretação de Língua Portuguesa-Libras-Língua Portuguesa: estudo comparativo entre sujeitos do Rio Grande do Sul e Santa Catariana – Flávia Medeiros Álvaro Machado; Heloísa Pedroso de Moraes Feltes

20/10 (16:30-18:00)

1. Ferramenta Computacional para o ensino-aprendizagem de segunda língua (L2): tradutores Automáticos – Marcos Aurélio Ariatti

2. Glossário como produto/recurso no processo de Tradução para Libras – Janine Soares de Oliveira

3. Compostos de LIBRAS e do português: uma contribuição para a formação de tradutores-intérpretes – Fabíola Sucupira Ferreira Sell; Maria Cristina Figueiredo Silva

21/10 (14:30-16:00)

1. A quantificação no processo de aquisição de língua portuguesa escrita por surdos – Rossana Finau

2. Um estudo sobre a aquisição da estrutura da oração no português-por-escrito dos surdos – Marisa Dias Lima; Rozana Reigota Neves

3. Uso da língua de sinais na escola: dados da Região Metropolitana do Rio Grande do Sul – Lodenir Becker Karnopp; Juliana de Oliveira Pokorski

4. Surdos com baixa visão/surdos e pessoas com baixa visão: convergências e possibilidades – Felipe Leão Mianes

Bloco B – sala 212

GT 3 – A semântica (formal) das línguas humanas e suas interfaces

Coordenadores: Ana Lúcia Müller (USP); Roberta Pires de Oliveira (UFSC)

20/10 (14:30-16:00)

1. Modalidade sublexical e dativização – Eduardo Correa; Sérgio Menuzzi

2. Decomposição semântica de predicados e a reflexivização no PB – Luisa Godoy

3. A Representação léxico-semântica dos verbos de causação interna – Sérgio Menuzzi & Pablo Ribeiro

4. Diversidade do sincretismo passivo-reflexivo e suas consequências – João P. Cyrino

20/10 (16:30-18:00)

1. A Distribuição do clítico se na alternância causativa no PB – Pablo Ribeiro

2. Um estudo comparativo entre o sintagma massivo nu e o sintagma massivo definido no português brasileiro – Laiza de Sena

3. Aspecto e gradação em Guarani Paraguaio: uma análise da partícula {-pa} – Lara Frutos

4. A cumulatividade e a contabilidade dos verbos em Karitiana – Luciana S-Mendes

21/10 (14:30-16:00)

1. Predicação Plural com Sujeitos Singulares no Português Brasileiro – Marcelo Ferreira

2. Sobre a semântica de 'eu' – Renato Miguel Basso

3. A Estrutura de argumentos em sentenças bitransitivas do português do Brasil: aspectos semânticos da alternância de preposição – Paula Armelin; Ana Paula Scher

4. Notas a respeito da estrutura argumental de verbos com alternância entre tema e locativo no Português Brasileiro – Ana Terra Mejia Munhoz; Rozana Reigota Naves

22/10 (14:30-16:00)

1. A estrutura argumental de sentenças médias e ergativas no PB – Cristiany Fernandes da Silva; Rozana Reigota Naves

2. Metáfora e composicionalidade – Luiz A. Pagani

3. Equivalência em tradução: uma proposta modelo-teorética – Alvaro K. Fujihara

Bloco B – sala 213

GT 4 – Livro didático de língua materna: produção, avaliação, circulação e usos

Coordenadores: Clecio dos Santos Bunzen Júnior (UNIFESP); Dulce Cassol Tagliani (FURG)

20/10 (14:30-16:00)

1. O gênero textual “O Manual do Professor”: constituição e implicações no letramento do professor e na sua prática escolar – Ayres Charles de Oliveira Nogueira

2. O Manual do livro didático e as atividades propostas: uma contradição – Érika Polessi

3. O ensino de pontuação nos livros didáticos do PNLD 2010: o que é proposto como atividades nesses manuais? O que diz o manual do professor? Jorge Luís Lira da Silva

4. Livro didático de língua portuguesa: apropriação dos professores – Márcia Aparecida Cavéquia; Lucinea Rezende

20/10 (16:30-18:00)

1. A (re)escrita de textos em livros didáticos               - Alice Napolitano; Adair Vieira Gonçalves  

2. As condições de produção de texto no livro didático: uma análise comparativa – Angela Valéria da Silva           

3. Abordagem de gêneros textuais em material didático apostilado – Christhyane Loureiro Leites; Adair Gonçalves

4. A condição de produção no ensino da escrita em materiais didáticos de cursos on-line – Aliete Gomes Carneiro Rosa

21/10 (14:30-16:00)

1. A abordagem do texto literário no livro didático de Português: rumo ao letramento estético – Delaine Cafiero e Hércules Corrêa

2. O uso da publicidade em livros didáticos de Língua Portuguesa: um desafio aos professores e aos alunos em sala de aula – Edson Roberto Bogas Garcia    

3. Agrupamentos dos gêneros textuais no livro didático de Língua Portuguesa – Eliana Dias

4. Os gêneros textuais: a visão dos livros didáticos – Elisete Maria de Carvalho Mesquista

22/10 (14:30-16:00)

1. Gêneros digitais: abordagem em livros didáticos das séries iniciais do ensino fundamental – Geandro Rocha

2. As imagens da leitura e do leitor a partir da análise de manuais didáticos de língua portuguesa – Manuella Felicíssimo               

3. Os gêneros do humor em livros didáticos de língua portuguesa utilizados no Brasil e em Portugal – Maria Aparecida Ottoni

4. O espaço do livro didático na aula de literatura – Mary Stela Surdi

Bloco B – sala 214

GT 5 – Língua escrita, cultura e escolarização

Coordenadores: Mary Elizabeth Cerutti-Rizzatti (UFSC); Angelita Darela Mendes (USJ)

20/10 (14:30-16:00)

1. A compreensão do professor da Univille dos gêneros acadêmicos e a sua implicação no processo de ensino-aprendizagem de leitura e de produção de textos na universidade – Simone Lesnhak Kruger; Andréa Maristela Bauer Tamanine; Maria da Graça Albino de Oliveira

2. A produção escrita na sala de aula como um espaço que vai além das convenções ortográficas – Cátia de Azevedo Fronza; Caroline Sampietro; Cândida Leite

3. Usos sociais da escrita: um estudo sobre práticas e eventos de letramento no cotidiano de professoras alfabetizadoras – Michelle Donizeth Euzébio

4. Letramento(s) de trabalhadores rurais sem-terra em espaços não-escolares: repensando a educação de jovens e adultos do campo – Maria Cristina Macedo Alencar

5. Língua escrita, cultura e escolarização: um olhar sobre práticas e eventos de letramento no cotidiano de alfabetizandos adultos em uma sociedade grafocêntrica – Rosângela Pedralli

20/10 (16:30-18:00)

1. A teoria da argumentação na língua e a compreensão de propostas de produção de textos dissertativo-argumentativos – Andréia Inês Hanel; Telisa Furlanetto Graeff

2. O uso de estratégias de referenciação por adolescentes considerados portadores de “distúrbios” de linguagem escrita: implicações para a atuação fonoaudiológica – Rita Fernandes Signor; Morgana Carina Lenzi

3. Ensino-aprendizagem de leitura: mediação e formação de leitores proficientes – Sabatha Catoia Dias

4. Letramento, autoria e reescritaMargarida A. R. de Pontes

5. Estudo ortográfico dos sons fricativos e a alfabetização – Luciana Mercês Ribeiro

21/10 (14:30-16:00)

1. Concepções de professores alfabetizadores sobre a alfabetização – Fernanda Cargnin Gonçalves

2. Da oralidade à escrita digital – Dulcina Edith Winter

3. Letramento: um olhar para os usos da escrita na microcultura – Anderson Jair Goulart

4. A construção da autonomia do sujeito produtor de textos: o desenho e a escrita no processo de aquisição da escrita – Wellington Barbosa Silva

5. Alunos de Letras EaD da UFSC:  elementos para um perfil de leitura de graduandos do curso – Aline Cassol Daga

22/10 (14:30-16:00)

1. Um olhar sobre o embate entre cultura escrita escolar e identidades culturais a partir da análise de produções escritas de alunos – Rosana Becker Fernandes

2. O processo de produção textual escrita no ensino e na aprendizagem de língua materna: convergência entre teoria e prática – Eloara Tomazoni

3. Escrita: instrumento de poder – Rosane Lemos Barreto

4. “A gente fala da gente”: um estudo sobre escritas no cotidiano escolar – Angelita Terezinha Maba de Souza

5. Produção textual: um continuum de análises e estudos para ensino/aprendizagem - Martha Thiesen Schwinden

Bloco B – sala 215

GT 6 – Língua, discurso e produção de sentidos I

Coordenadores: Verli Fátima Petri da Silveira (UFSM); Mary Neiva Surdi da Luz (UFFS)

20/10 (14:30-16:00)

1. Operadores argumentativos: o direcionamento discursivo  na construção textual das alegações finais de um processo de crime sexual – Andre William Alves de Assis

2. Discurso, poder e ideologia: movimentos de dominação e resistência – Carolina Salbego Lisowski

3. O discurso contraditório: uma análise sobre os processos discursivos presentes em perfis neonazistas no orkut – Felipe Alves Pereira Ávila; Aracy Ernst-Pereira

4. Categorizações e posicionamentos: atividades discursivas utilizadas na atribuição de responsabilidade – Líllian Márcia Ferreira Divan

5. Discurso jurídico e artigo de opinião; um diálogo tenso – Maria Helena Cruz Pistori

20/10 (16:30-18:00)

1. Liberdade. que efeito tem esse enunciado para quem está na posição de presidiário? – Vera Lucia da Silva

2. Intérprete de língua brasileira de sinais: uma posição discursiva em construção – Ângela Russo; Regina Maria Varini Mutti

3. Gramática e ensino: formação de professores e identidade – Angela Derlise Stube

4. Escrita de si e identidade: rastros de exclusão e resistência da/na/pela língua – Beatriz Maria Eckert-Hoff

21/10 (14:30-16:00)

1. A questão do sujeito para a linguística da enunciação e para a análise do discurso: um possível diálogo – Deise Redin Mack

2. A produção de (outros) sentidos em língua estrangeira: possibilidade de uma reconfiguração subjetiva – Giovani Forgiarini Aiub

3. Teoria e prática: sentidos que circulam em dois relatórios de prática de ensino – Liza Buttchevitz

4. Sentidos políticos e identitários do novo acordo ortográfico – Maria Cleci Venturini

5. A escola – lugar de interpretação e de constituição de identidades – Maria de Lourdes F. Cauduro; Regina Maria Varini Mutti

22/10 (14:30-16:00)

1. Sintagma: da linguística para a gramática – Maria Iraci Sousa Costa; Amanda Scherer

2. O funcionamento da noção de língua em dicionários nacionais e escolares – Nina Rosa Licht Rodrigues

3. Uma análise da identidade nacional no dicionário de Baurepaire-Rohan – Bruna Silvério Botelho; Mariângela Peccioli Galli Joanilho

4. Sobre a ligação entre língua e discurso na perspectiva saussuriana – Karen Alves da Silva

5. A historicidade constitutiva dos estudos sobre a linguagem dos anos 50 a partir da filiação teórica – Caroline Mallmann Schneiders

Bloco B – sala 216

GT 6 – Língua, discurso e produção de sentidos II

Coordenadores: Verli Fátima Petri da Silveira (UFSM); Mary Neiva Surdi da Luz (UFFS)

20/10 (14:30-16:00)

1. Gramatização da língua portuguesa: entre a manutenção, a alteração e o silenciamento – Daiane Siveris; Verli Petri

2. (I)Materialidade da língua como patrimônio – Larissa Montagner Cervo

3. Brasileirismos: uma relação entre língua e sujeito nacional – Vanise Gomes de Medeiros

4. Fronteira enunciativa: um lugar de sentido – Juciane Ferigolo Parcianello

Tradução: a (re)produção de sentido – Francine de Oliveira Gomes; Roberta Quintanilha Azevedo; Sylvia Furtado Félix; Raquel Menezes Vaz; Adail Ubirajara Sobral

20/10 (16:30-18:00)

1. Discurso religioso católico: memória da fé pela devoção à virgem de Nazaré no Pará – Ildimar Viana Assunção

2. Língua global x língua universal: diferenças e/ou semelhanças? – Ivanise Jurach

3. Blog jornalístico: “comentários” sobre o caso Isabela – Leandro Tafuri; Denise Gabriel Witzel

4. O jornalístico e o político: uma análise discursiva do programa bolsa-família – Leila Maria Franco

21/10 (14:30-16:00)

1. Concepção de leitura para análise de discurso – Lucas Martins Flores; Verli F. Petri da Silveira 

2. Folha de S. Paulo: o manual de redação – memória ou interdito? – Maraisa Lopes

3. A construção da mulher como objeto de consumo em anúncios publicitários de cerveja: uma abordagem discursiva – Marcela Regina Vasconcelos da Silva

4. O uso da paródia na produção de sentidos em “greve dos ladrões” do programa pânico na TV – Raquel de Freitas Arcine

5. Designar para apartar: nomes e laços sociais – Rejane Maria Arce Vargas

22/10 (14:30-16:00)

1. Discurso cutista: a emergência da equivocidade na repetição – Renata Silveira da Silva

2. O discurso governamental e as relações de sentido sobre a política de informática na educação brasileira – Sandra Luzia Wrobel Straub

3. Mídia e produção de sentidos: o sujeito no discurso sobre a televisão digital no Brasil – Silmara Cristina Dela Silva

4. À deriva dos sentidos...collor, nelle, lülla, ella... – Vanessa Diânifer Lopes Paula

5. A gramatização como destaque (de um) e silenciamento (de outros) – Phellipe Marcel da Silva Esteves

Bloco B – sala 217

GT 7 – Linguística e língua de sinais

Coordenadores: Ronice Müller de Quadros (UFSC); Rossana Finau (UTFP)

20/10 (14:30-16:00)

1. A fala-em-interação em sala de aula de Língua de Sinais como segunda língua – Vanessa de Oliveira Dagostim Pires

2. A utilização das histórias em quadrinhos no ensino de Língua Portuguesa para alunos surdos – Mônica Lopes Smiderle de Oliveira; Erica Coronatto

3. LIBRAS e Língua Portuguesa em diálogo: os desafios do ensino de Literatura no INES – Giselly dos Santos Peregrino

4. Semiótica imagética: a importância da imagem na aprendizagem – Emiliana Faria Rosa; Marcos Luchi

20/10 (16:30-18:00)

1. Uso da língua de sinais na escola: dados da Região Metropolitana do Rio Grande do Sul -Lodenir Becker Karnopp; Juliana de Oliveira Pokorski

2. Materiais didáticos de língua portuguesa com o uso de múltiplas linguagens para surdos – Lívia Letícia Belmiro Buscácio; Rita de Cássia Teixeira Braga

3. ELiS – Escrita de Línguas de Sinais: sua aprendizagem – Mariângela Estelita Barros

4. Língua escrita: português / sinais (SW) – Bianca Ribeiro Pontin; Érika Vanessa de Lima Silva

21/10 (14:30-16:00)

1. Aquisição bilíngue bimodal: Libras e Português – Ronice Müller de Quadros; Diane Lillo-Martin; Deborah Chen Pichler

2. A aquisição da escrita por crianças surdas – Maria Cristina da Cunha Pereira

3. Aquisição do português escrito por surdos usuários de LSB: Efeitos da interferência da L1 em contexto de concordância verbal – Lilian Coelho Pires

4. Categoria aspectual da Libras: análise linguística e processos de aquisição – Lídia da Silva

22/10 (14:30-16:00)

1. Toponimia de cidades do rio grande do sul e sinais de alimentos: uma analise – Carolina Hessel Silveira; Claudio Henrique Nunes Mourão

2. Os sinalários na língua de sinais: Como surgem os sinais? – Carolina Comerlato Sperb; Maria Cristina Viana Laguna

3. O Nome dos Lugares na Língua de Sinais Brasileira: um estudo toponímico – Enilde Faulstich; José Ednilson Gomes de Souza Júnior

4. Filhos surdos x pais mudos – Andréia Gulielmin Didó; Cátia de Azevedo Fronza

Bloco B – sala 218

GT 8 – Avanços das neurociências e da psicolinguística para dinamizar o letramento

Coordenadores: Leonor Scliar-Cabral (UFSC/CNPq); Otilia Lizete de Oliveira Martins Heinig (FURB)

20/10 (14:30-16:00)

1. Avanços das neurociências e da psicolinguística para dinamizar o letramento – Leonor Scliar-Cabral

2. Mapeamento Cognitivo da Leitura através de RMf – Sandra Maria Leal Alves

3. Dissimetrização e leitura: um estudo psicolinguístico experimental – Tania Mikaela Garcia

4. O letramento no cérebro: uma síntese da pesquisa recente sobre os correlatos neurais da escrita e da leitura em L1 – Mailce  Borges Mota

5. Contribuições das neurociências para o estudo da progressão referencial no processamento da leitura – Salete Valer

20/10 (16:30-18:00)

1. O nível de regularidade fonema-grafema das palavras interfere na leitura? – Ângela Maria Vieira Pinheiro

2. Interação entre consciência fonológica, leitura e escrita em métodos distintos de alfabetização – Dalva M. A. Godoy

3. A intervenção da consciência fonológica nos processos fonológicos presentes na representação escrita inicial de estruturas silábicas complexas do português brasileiro – Susie Enke Ilha; Marisa Porto Amaral; Claudia Camila Lara

4. Compreensão do princípio alfabético, consciência fonológica e variedade textual: importância no processo de alfabetização – Ana Paula Rigatti Scherer

5. Atividades linguístico-pedagógicas para o desenvolvimento da consciência fonológica e para a aquisição da escrita de crianças de seis anos de idade – Liliana Fraga dos Santos

21/10 (14:30-16:00)

1. Jogos na alfabetização: uma proposta para o desenvolvimento da leitura – Otilia Lizete de Oliveira Martins Heinig

2. Ensino da leitura: das cartilhas à neurociência – Ângela Inês Klein; Rafaela Janice Boeff

3. Testes de compreensão de leitura: teoria e prática – Chris Royes Schardosim

4. Diferenças em narrativas escritas de crianças do ensino fundamental de diferentes níveis socioculturais – Lidiomar José Mascarello

22/10 (14:30-16:00)

1. Aprendizado da leitura e consciência linguística – Vera Wannmacher Pereira 

2. Proposta de testes de desempenho do disléxico – Helena Blasi

3. O uso do braile eletrônico para a alfabetização dos deficientes visuais – Adriana Riess Karnal

4. A Neurociência, a Teoria das Inteligências Múltiplas e a Psicolinguística: uma abordagem alternativa no processo de ensino-aprendizagem – Adriana Ferreira Gama; Aline Renée Benigno dos Santos

Bloco B – sala 219

GT 9 – Imagem e discurso

Coordenadores: Nádia Régia Maffi Neckel (UnC); Giovanna B. Flores (UNISUL)

20/10 (14:30-16:00)

1. Charge: as relações dialógicas que constroem a figura do presidente da república – Jucirlei Pereira Casagrande

2. Do romance para as tiras em quadrinhos: efeitos de sentidos que marcam o leitor – José Ricardo Carvalho

3. Mídia, Governamentalidade e Inclusão: Da Norma à Normalização da Identidade Indígena – Ismara Eliane Vidal de Souza Tasso; Margarida Liss; Jefferson Gustavo dos Santos Campos

4. A imagem de Fidel: Elementos visuais e verbais no estabelecimento do sentido – Luciana Iost Vinhas

5. Análise discursiva do curta metragem “A Novembrada” – Lucio Flavio Giovanella

20/10 (16:30-18:00)

1. O sujeito subversivo na ditadura militar: uma perspectiva discursiva – Rejone Valentim Alves; Ismara Eliane Vidal de Souza Tasso

2. Atravessamentos discursivos em “O samba do crioulo doido” – Solange Leda Gallo; Thiago Silva de Amorim Jesus

3. O discurso de divulgação cientifica nos portais de noticias e na Revista Ciência em Curso – Giovanna Benedetto Flores

4. D. Chico Chicote, o cavaleiro das representações – Maria Aparecida Conti

21/10 (14:30-16:00)

1. Lendo Filmes – O esquecimento do cinematográfico na simultaneidade do fílmico – Mara Lúcia Salla

2. O corpo-imagem como obra de arte: cenografia e intericonicidade nas revistas Men’s health e Júnior – Maria do Socorro Correia Lima

3. Osman Lins e a natureza como suporte para um discurso de sagração do humano – Priscila Medeiros Varjal de Melo

4. Tessitura e tecedura: movimentos de compreensão do discurso artístico no audiovisual – Nádia Régia Maffi Neckel

Bloco B – sala 220

GT 10 – Linguagem, identidade e subjetividade I

Coordenadores: Letícia Fraga (UEPG); Siumara Aparecida de Lima (UTFPR)

20/10 (14:30-16:00)

1. Twain: lições práticas de linguística: língua, linguagem e identidade – Hanna Betina Götz

2. Políticas linguísticas e configurações de identidade – Djane Antonucci Correa

3. Algumas reflexões sobre o poder simbólico atribuído à escrita – Ângela de Fátima Scremin; Djane Antonucci Correa

4. A linguagem escrita e a interação: reflexões sobre traços de identidade – Cristiane Nunes Borges; Djane Antonucci Correa

5. A identidade pela variação:sociolinguística e estilo – Guilherme Henrique May

20/10 (16:30-18:00)

1. O manezinho como estereótipo: reflexões sobre a língua e a identidade florianopolitanas – Christiane Maria Nunes de Souza

2. Bidialetalismo na escola pública – Lucia F. Mendonça Cyranka; Bruno Defillipo Horta

3. Aspectos da constituição identitária dos alunos surdos no processo de ensino e aprendizagem na escola pública regular – Onilda Aparecida Gondim

4. Os discursos do gauchismo e a construção de uma identidade gaúcha – Letícia Freitas

21/10 (14:30-16:00)

1. A irmandade na fronteira Jaguarão/Rio Branco: pontos e contrapontos – Alessandra Avila Martins

2. O silenciamento de uma língua e uma nação – Marilene Teresinha Stroka

3. Estatuto da igualdade racial: em “defesa” dos que sofrem preconceito ou discriminação em função de sua etnia, raça e/ou cor – Fabi Jesus

4. A referenciação e a subjetividade em cartas notariais – Jaqueline Aparecida dos Santos Dutra; Elódia Constantino Roman

22/10 (14:30-16:00)

1. Análise linguística no livro didático do ensino fundamental: um olhar sobre a pontuação – Pascoalina Bailon de Oliveira Saleh

2. Identidade e subjetividade nas práticas da Educação a Distância: uma análise tensiva – Daniervelin Renata Marques Pereira

3. A constituição da subjetividade no ciberespaço – Juliana Cristina Souza Soares; Ana Maria Nápoles Vilella

4. Identidade e subjetividade nas práticas da Educação a Distância: uma análise tensiva – Daniervelin Renata Marques Pereira

Bloco B – sala 221

GT 10 – Linguagem, identidade e subjetividade II

Coordenadores: Letícia Fraga (UEPG); Siumara Aparecida de Lima (UTFPR)

20/10 (14:30-16:00)

1. Literatura, linguagem, sujeito e identidade n’A Trilogia de Nova York e em Invisible, dois romances de Paul Auster – Egle Pereira da Silva

2. A construção narrativa e a desconstrução da identidade em O Olho Mais Azul – Cleideni Alves do Nascimento; Marly Catarina Soares

3. A construção da subjetividade feminina no romance Quero minha mãe, de Adélia Prado – Aline Gisele Roskosz

4. A casa e a rua como elementos de formação identitária no conto Restos de carnaval, de Clarice Lispector – Jhony Adelio Skeika

20/10 (16:30-18:00)

1. Gêneros textuais: abordagem em notas de falecimentos – Avanilde Polak

2. Identidade do sujeito-imigrante alemão no Rio Grande do Sul: busca de trajetórias – Vejane Gaelzer

3. O brasileiro e a copa do mundo: identidade nacional e carnavalização – Paulo Cesar Machado

4. Contrato de comunicação na sala de aula: identidades e papéis – Suelen Érica Costa da Silva

5. As diversas linguagens e o ensino de Linguística: o (re)construir de identidades e de uma ‘rede interativa de significados’ – Claudia Maris Tüllio

21/10 (14:30-16:00)

1. Estrangeirismos: Crenças linguísticas e identidades nacionais – Simone Sousa Borges; Letícia Fraga

2. O livro didático de inglês e as representações de identidade nacional: uma reflexão acerca da construção da identidade em alunos e professores de Inglês – Julia Margarida Kalva; Aparecida de Jesus Ferreira

3. Heterogeneidade nas representações de tradução em contexto de ensino superior de literaturas estrangeiras: um lugar “entre-línguas” – Rosa Maria Olher

4. Literatura e Ensino: Ferramentas da Abordagem Corpus na Análise do Discurso de Professores de Literaturas de Língua Inglesa – Danielle de Almeida Menezes

Bloco B – sala 222

GT 11 – Problematizando o papel da pesquisa nos estudos sobre formação de professores de língua estrangeira: descobertas, desafios e problemas I  

Coordenadores: Gloria Gil (UFSC); Andréia Schurt Rauber (UCP)

20/10 (14:30-16:00)

1. A pesquisa de intervenção na sala de aula e a formação continuada de professores de LE – Josalba Ramalho Vieira

2. A formação do professor e a relação de inerência entre pesquisa e docência – Marcos Roberto da Silva

3. Engavetando conhecimento: questões éticas na pesquisa qualitativa – Raquel Carolina Souza Ferraz D'Ely; Marimar da Silva; Adriana Kuerten Dellagnelo

4. A investigação sobre formação de professores de LE e o comprometimento do pesquisador diante dos dados – Maria Inêz Probst Lucena

20/10 (16:30-18:00)

1. Plano de Desenvolvimento Educacional do Estado do Paraná (PDE): uma análise reflexiva sobre este programa de formação continuada – Telma Nunes Gimenez; Mônica Lopes; Vivian Uno Lunardi

2. História de experiência com a leitura em língua inglesa: uma amostragem da pesquisa desenvolvida na dissertação de mestrado – Vivian Uno Lunardi

3. O NRE itinerante e a sua contribuição para a formação do professor de língua estrangeira – Isis Ribeiro Berger

4. O trabalho docente em curso livre: quando a formação é “treinamento” – Taiane Malabarba; Ana Maria de Mattos Guimarães

21/10 (14:30-16:00)

1. Pesquisa em  formação do professor de língua inglesa em contexto de mudanças – Ruberval Franco Maciel

2. Formação de professores de inglês na era da cibercultura – Rose Maria Belim Motter, Iandra Pavanati, Araci Hack Catapan 

3. Letramento Digital e as relações entre o dizer e o fazer dos professores de línguas- Fabiano Santos Saito; Patrícia Nora de Souza

4. Formação de professores de língua estrangeira mediada pelas novas tecnologias: os desafios de pesquisar este contexto – Marcia Regina Pawlas Carazzai; Gloria Gil

22/10 (14:30-16:00)

1. Mapeamento da pesquisa de crenças no ensino de línguas com foco na escola pública brasileira: contribuições à pesquisa de formação de professores de línguas – Fernando Silvério de Lima

2. Trajetória de uma professora em formação na pesquisa sobre formação de professores: do ideal para o real – Renata Gomes Luis

3. Cognições sobre pesquisas sobre o processo de ensinar e aprender LE: representações de professores e formadores – Lauro Luiz Pereira Silva

4. Cognições de professores de uma escola pública sobre o uso de sequências didáticas no ensino de língua inglesa – Carla Pereira de Oliveira

Bloco B – sala 223

GT 11 – Problematizando o papel da pesquisa nos estudos sobre formação de professores de língua estrangeira: descobertas, desafios e problemas II

Coordenadores: Gloria Gil (UFSC); Andréia Schurt Rauber (UCP)

20/10 (14:30-16:00)

1. A competência linguística do futuro professor de língua estrangeira: uma análise dos alunos do curso de Letras da UTFPR sobre a disciplina de Língua Inglesa – Ana Valéria Bisetto Bork

2. As competências do professor de línguas na avaliação da proficiência linguística – Aline Mara Fernandes

3. O desafio da pronúncia na formação de professores de inglês – Andressa Brawerman Albini; Denise Cristina Kluge

4. Modelo de exemplares, fonologia de uso e ensino de pronúncia em língua estrangeira – Maria Lúcia de Castro Gomes

20/10 (16:30-18:00)

1. Um olhar sobre a formação do professor de língua inglesa: um caminhar constante e ininterrupto da formação inicial à continuada – Alessandra da Silva Quadros Zamboni; Thaisa de Andrade Jamoussi

2. “O que eu faço e o que eu digo que faço”: o desenvolvimento de uma metaconsciência acerca das teorias de aprendizagem que subsidiam as escolhas feitas em sala de aula por professoras de inglês, durante um processo reflexivo colaborativo – Luciane Kirchhof Ticks

3. Práticas reflexivas na formação inicial do professor de língua inglesa no Estado de Mato Grosso do Sul – João Fábio Sanches Silva

4. A formação do professor reflexivo de italiano – Paula Garcia de Freitas; Luciana Lanhi Balthazar

21/10 (14:30-16:00)

1. Metáforas de aprendizagem no discurso de dois aprendizes – Giana Targanski Steffen; Gloria Gil

2. Tematização e representação da prática docente: uma análise sistêmico-funcional da construção discursiva da identidade do professor de inglês como língua estrangeira – Suzana de Carvalho Barroso

3. Representações de professores de inglês sobre a experiência de ensino e aprendizagem de escrita através do procedimento de sequência didática – Didiê Ana Ceni Denardi

4. A formação do professor e recursos práticos em contexto de sala de aula de língua estrangeira – Aline Cantarotti

22/10 (14:30-16:00)

1. A sala de aula de língua espanhola: reflexões sobre o estágio de regência – Cidia Rita Andrade Kieras; Marcela de Freitas Ribeiro Lopes

2. A formação docente em espanhol língua estrangeira sob a ótica da teoria holística da atividade – Liara Josiane Rodrigues de Lima

3. Formação de professores de espanhol como língua estrangeira: perspectiva do projeto pedagógico do curso de Letras Português/Espanhol da Universidade Tuiuti do Paraná (UTP) – Fernanda Deah Chichorro Baldin

4. Formação de professores de PLE – o caso de CELIN/UFPR – Fernanda Deah Chichorro Baldin; Renata Maria Santos Ferreira

Bloco B – sala 224

GT 12 – (Des)caminhos da formação de professores formadores de leitores I

Coordenadores: Clara Dornelles (UNIPAMPA); Eliane Santana Dias Debus (UFSC)

20/10 (14:30-16:00)

1. Práticas de leitura e formação de leitores de textos narrativos em sala de LM de EJA – desafios e perspectivas – Ana Ruth Moresco Miranda; Cristiane Silveira dos Santos

2. Uma análise da leitura literária no contexto escolar- Chirley Domingues

3. Ensino de leitura e formação de leitores: entre as orientações dos documentos oficiais e os materiais didáticos produzidos por professores – Cloris Porto Torquato 

4. Espelho partido: uma análise discursiva sobre o conceito de leitura produzido a partir da leitura de fábulas feita por professores da rede municipal de Curitiba – Ana Cláudia Porto

20/10 (16:30-18:00)

1. Professores em formação e a seleção de tarefas de leitura – Luciane Baretta; Claudia Finger- Kratochvil

2. Leitura e gêneros digitais na formação do professor de língua materna – Elenice Maria Larroza Andersen

3. Memórias de leitura, subjetividades e a formação do professor leitor – Márcia Dresch; Tatiana Bolivar Lebedeff

4. Livro de imagem: cultura e didática sob o olhar de pesquisadores brasileiros – Maria Laura Pozzobon Spengler

21/10 (14:30-16:00)

1. Professor alfabetizador da EJA e a formação de leitores – Paula Alves de Aguiar; Nilcéa Lemos Pelandré

2. Lygia Bojunga nas dobras do maravilhoso e do verismo – Regina Silva Michelli

3. Lygia Bojunga: oralidade como estratégia de leitura e de inclusão social – Tania Maria Nunes de Lima Câmara

4. Leitura e o ensino de Literatura Estrangeira: a aproximação pedagógica entre dois romances de formação – Henrique Evaldo Janzen

22/10 (14:30-16:00)

1. Em que espelho ficaram perdidas as suas faces? – Ana Kelly Borba da Silva Brustolin

2. A literatura em questões – Gizelle Kaminski Corso 

3. “Meu trabalho tem UM único objetivo’ [...] que o aluno tenha recursos cada vez mais amplos pra conseguir se expressar”: um olhar para as práticas de leitura e escrita desenvolvidas nas aulas de Língua Portuguesa – Otilia Lizete de Oliveira Martins Heinig; Henriette Luise Steuck

4. Histórias de letramento, alfabetização e formação de leitores – Hilário Inácio Bohn

Bloco D – sala 312

GT 12 – (Des)caminhos da formação de professores formadores de leitores II

Coordenadores: Clara Dornelles (UNIPAMPA); Eliane Santana Dias Debus (UFSC)

20/10 (14:30-16:00)

1. Alfabetização: reflexões e práticas – Maria Eurácia Barreto de Andrade

2. Formação de leitor no ensino médio: o papel da crônica – Bianca Cristina Buse

3. Procedimentos de análise e síntese em textos produzidos por acadêmicos do Curso de Letras – Eliane Santos Raupp

4. Interações em sala de aula durante uma prática de leitura – Nathalie Letouze Moreira

20/10 (16:30-18:00)

5. Os níveis de leitura na formação docente: entre a oralidade e a escrita – Guilherme Rocha Duran; Rubia Mara Bragagnollo

6. Contos e Lendas sob um diferente olhar – Elisângela Maas; Magdalena Voigt

7. Adaptação de Dom Quixote das crianças na contemporaneidade: da prosa lobatiana às HQs – Fernanda Maccari Guollo

8. A fé, a lei e o rei: retratos da leitura no Brasil colonial – Márcia Amélia de Oliveira Bicalho

Bloco B – sala 311

GT 13 – Teorias fonológicas e estudos sobre desvios fonológicos

Coordenadores: Cristiane Lazzarotto Volcão (UFSC); Carmen Lúcia Barreto Matzenauer (UCPel)

20/10 (14:30-16:00)

1. Gramáticas de sons em desvios fonológicos – Carmen Lúcia Barreto Matzenauer

2. Um estudo comparativo da Degeminação no PB e no PE – Juliana Kickhöfel; Carmen Lúcia Barreto Matzenauer

3. A produção da fricativa interdental vozeada por professores brasileiros de inglês em formação – Juliane Regina Trevisol

4. Consciência fonológica e aquisição da escrita: interferências da fala na escrita de crianças bilingues falantes do Português Brasileiro e do dialeto Hunsruckisch falado no Rio Grande do Sul nas séries iniciais – Rosemari Lorenz Martins

20/10 (16:30-18:00)

1. Aquisição de contrastes fônicos: uma proposta de trabalho em conjunto com o professor -Larissa Cristina Berti; Iana da Costa Pires; Luciana Tavares Sebastião

2. O contraste encoberto de vozeamento em um caso de desvio fonológico – Raquel Menezes Vaz

3. Codas lexical e morfológica: variáveis linguísticas relevantes para a produção correta – Roberta Freitas Dias; Carolina Lisbôa Mezzomo; Helena Bolli Mota; Vanessa Giacchini

4. Consciência do Próprio Desvio de Fala sob diferentes variáveis extralinguísticas – Roberta Freitas Dias; Carolina Lisbôa Mezzomo; Helena Bolli Mota; Roberta Michelon Melo

21/10 (14:30-16:00)

1. Plosivização: dados de fala de crianças com desvio fonológico – Letícia Pacheco Ribas; Ananda Ramos; Vanessa Henrich; Lívia Faiffer; Juliane Prezzi; Fernanda Kley

2. O onset complexo na aquisição da linguagem: um estudo longitudinal com base na TO – Letícia Bello Staudt – Cátia de Azevedo Fronza

3. Modelo Padrão de Aquisição de Contrastes – Cristiane Lazzarotto-Volcão

4. A Geometria dos Traços e a terapia de desvios fonológicos: as vogais como recurso de gatilho – Ana Carla Estellita Vogeley

22/10 (14:30-16:00)

1. O papel do léxico na terapia fonoaudiológica – Giovana Ferreira Gonçalves; Mardônia Alves Checalin

2. Os desvios fonológicos: da Fonologia Natural à Teoria da Otimidade – Giovana Ferreira Gonçalves

3. Ponto de articulação nos processos de assimilação e substituição de consoantes na aquisição do PB – Magnun Rochel Madruga; Jael Sânera Sigales Gonçalves; Carmen Lúcia Barreto Matzenauer

Bloco B – sala 312

GT 14 – A eventicidade do discurso: desestabilização e estabilização na produção do sentido e da identidade

Coordenadores: Marinalva Vieira Barbosa (UFTM); Marina Célia Mendonça (UNIFRAN / UNI-FACEF)

20/10 (14:30-16:00)

1. A produção escrita no ensino médio: alteridade, subjetividade e dialogia – Lídia Maria Ferreira de Oliveira

2. Marcas identitárias a partir do discurso não-dominante – Veridiana Caetano

3. Uma leitura da virgindade feminina no ordenamento jurídico cívil brasileiro: a (re)construção de uma identidade – Claudia Maris Tüllio

4. Efeito dos dêiticos como marcas de transição identitária no discurso indígena – Paulo Roberto de Souza Freitas

20/10 (16:30-18:00)

1. Hiperlíngua, deriva e gênero – Maria Marta Furlanetto

2. Ética na ação docente – Nelita Bortolotto

3. Identidade e prática de escrita em blogs: reflexões sobre o fazer literário na internet – Marina Célia Mendonça

4. Bakhtin, Vigotski e a constituição não-fragmentária do humano e do conhecimento – Marinalva Vieira Barbosa

Bloco B – sala 313

GT 15 – A constituição do ethos e o efeito de sentido nos diferentes gêneros textuais

Coordenadores: Sandro Luis da Silva (UFLA); Maria Marcia Matos Pinto (FATEC/SCS)

20/10 (14:30-16:00)

1. Análise das práticas linguageiras em situações de trabalho: a construção do ethos em discursos empresariais – Ernani Cesar de Freitas

2. Reportagem jornalística e ethos – Miriam Buab Puzzo

3. A polêmica como interincompreensão: o ethos do discurso de divulgação religiosa midiática – Sueli Maria Ramos da Silva

4. De sujeito falado a sujeito falante: da interpelação policial às materialidades discursivas – Ana Zandwais; Sérgio Nunes de Jesus

20/10 (16:30-18:00)

1. Outros ethe para outro cinema – Fernanda Silva Chaves

2. Os efeitos de sentido e os ethe de identificação produzidos na propaganda eleitoral de 2008 em Maringá – PR – Paula Camila Mesti

3. A língua como instância discursiva: o outro no discurso do eu – o efeito de ethos – Conceição Aparecida Kindermann

21/10 (14:30-16:00)

1. O dizer e o fazer institucional: um estudo das estratégias discursivas do Planejamento Estratégico do CEFET-MG – Maria Luiza Campos Oliveira; Giani David

2. Ethos no campo das estratégias argumentativas Olga Valeska e Ana Maria Nápoles Villela.

3. O portfólio como estratégia de produção textual: a construção do ethos – Sandro Luís da Silva  e Maria Márcia Matos Pinto

Bloco B – sala 314

GT 16 – Análise linguística no ensino da língua portuguesa I

Coordenadores: Alba Maria Perfeito (UEL); Terezinha da Conceição Costa-Hubes (UNIOESTE)

20/10 (14:30-16:00)

1. Trabalhando com gêneros textuais no ensino de L1: a propaganda como recurso pedagógico – Regiane Aparecida Stempiem Mendes da Silva

2. O Interacionismo sócio-discursivo e a abordagem funcional: a serviço do desenvolvimento da escrita – Adair Vieira Gonçalves

3. O gênero literário em foco: contos de Dalton Trevisan sob a perspectiva bakhtiniana – Everton Vinicius de Santa

4. Análise linguística de textos do gênero bilhete: proposta de encaminhamentos – Luciane Watthier; Rosiane Moreira da Silva Swiderski; Terezinha da Conceição Costa-Hubes

20/10 (16:30-18:00)

1. Análise linguística e ensino de leitura na aula de português: concepções e abordagens – Maria de Fátima Silva dos Santos

2. Interdiscursividade e intertextualidade: o diálogo das vozes sociais no conto lygiano – Márcia Adriana Dias Kraemer

3. O que os erros e as estratégias de refacção textual sinalizam para a prática pedagógica de análise linguística – Rosana Becker Fernandes

4. Práticas de leitura e formação de leitores de textos narrativos em sala de LM do EJA – desafios e perspectivas – Ana Ruth Moresco Miranda; Cristiane Silveira dos Santos

21/10 (14:30-16:00)

1. “Êta nóis”: estudo de produções de professores em formação sobre fonética e variação linguística no gênero canção – Edson Carlos Romualdo

2. Percorrendo caminhos para a análise linguística – Elódia Constantino Roman

3. Análise linguística contextualizada do gênero haicai brasileiro – Mariangela Garcia Lunardelli

4. Manuais das etiquetas: servem para instruir... Servem para ensinar – Neluana Leuz de Oliveira Ferragini; Alba Maria Perfeito

22/10 (14:30-16:00)

1. Uma proposta de análise linguística para alunos de 5º ano a partir do gênero conto contemporâneo – Claudete Aparecida Simioni; Terezinha Da Conceição Costa-Hubes

2. A reflexão linguística na prática de ensino em Língua Portuguesa – Ingrid Nancy Sturm

3. O texto de divulgação científica: uma proposta de didatização – Sandra Elaine Luppi

Bloco B – sala 315

GT 16 – Análise linguística no ensino da língua portuguesa II

Coordenadores: Alba Maria Perfeito (UEL); Terezinha da Conceição Costa-Hubes (UNIOESTE)

20/10 (14:30-16:00)

1. Escrita e reescrita de cartas: refletindo sobre a língua nas aulas de português – Maria Izabel de Bortoli Hentz

2. Análise Linguística em produções de textos em situação de vestibular – Maria Tocie Ishizaki Higa; Adair Vieira Gonçalves

3. A importância de instruções linguísticas explícitas formais na superação das dificuldades de escrita relacionadas a interferências dialetais – Ana Carla Estellita Vogeley; Dermeval da Hora

4. O gerúndio, o gerundismo e a sala de aula de língua portuguesa – Patrícia Graciela da Rocha

20/10 (16:30-18:00)

1. Em busca de uma metodologia de ensino de gramática – Eloisa Nascimento Silva Pilati

2. O que professores alfabetizadores sabem sobre a língua que ensinam – Rosana Mara Koerner

3. Análise linguística numa perspectiva funcional: algumas possibilidades – Edvaldo Balduino Bispo

4. Linguística formal e ensino de língua materna: a questão do acento gráfico – Gabriela Donadel

21/10 (14:30-16:00)

1. Análise da variação linguística em textos orais e escritos –               Clóvis Alencar Butzge

2. Análise linguística na perspectiva sistêmico-funcional para o ensino de língua portuguesa – Cristiane Fuzer

3. Processos verbais no discurso jornalístico em português -  Sara Regina Scotta Cabral

Bloco B – sala 316

GT 17 – Análise do Discurso: aspectos teóricos e analíticos sobre o discurso em rede

Coordenadores: Solange Mittmann (UFRGS); Gesualda de Lourdes dos Santos Rasia (UFPR)

20/10 (14:30-16:00)

1. Memória na rede ou nas redes da memória: uma análise do textos publicados no Facebook – Ana Josefina Ferrari

2. A web 2.0 e a mídia alternativa – Solange Mittmann

3. Escola, Pesquisa e Interlocuções em Ambiente Virtual: sentidos do acontecimento – Joelma Adriana Abrão Remião

4. A Wikipédia e o discurso de/sobre o conhecimento – Gláucia da Silva Henge

20/10 (16:30-18:00)

1. Imaginário de língua, memória e subjetividade em discursividades sobre ensino da língua portuguesa pela/na mídia – Carme Regina Schons

2. A produção de sentidos acerca do internetês na mídia jornalística – Gesualda dos Santos Rasia

3. Processos de produção de sentido tecidos nas falas dos acadêmicos de graduação na modalidade de EAD: evidências das marcas e atravessamentos no discurso – Regina Aparecida Milléo de Paula 

4. A autoria na escrita digital – Angela Maria Plath da Costa

21/10 (14:30-16:00)

1. O sempre retorno dos enunciados – Ercília Ana Cazarin

2. Discursos na rede eletrônica: (outros) arquivos, (outra) temporalidade – Fernanda Correa Silveira Galli; Lucília Maria Sousa Romão

3. Acontecimento e mídia on line: como se dá a repercussão e construção dos efeitos de sentidos nesse espaço? – Verônica Cardoso da Silva

4. Memória discursiva ressignificada: reescritas da pintura canônica em ambiente virtual – Renan Belmonte Mazzola

Bloco B – sala 317

GT 18 – Os discursos em/de Foucault I

Coordenadores: Sandro Braga (UNISUL); Fabio Luiz Lopes da Silva (UFSC)

20/10 (14:30-16:00)

1. Drama e revolta na voz, o sujeito na remissão a si – Pedro de Souza

2. Dos discursos acerca da relação professor e aluno hiperativo – Bruno Franceschini; Pedro Navarro

3. Análise discursiva de um confronto político-educacional entre agricultores e o aparato técnico-jurídico de Estado – Manoel Mathias Ferreira; Sandro Braga

4. Discurso, biopolítica e processos de subjetivação na mídia e na educação – Pedro Navarro

20/10 (16:30-18:00)

1. Discurso, literatura e história: leitura do conto “a menor mulher do mundo”, de Clarice Lispector – Antônio Fernandes Júnior; Maria do Rosário Gregolin

2. Lori Lamby: A escrita de si no Caderno rosa – Jaciane Martins Ferreira

3. Função-autor: análise discursiva das postagens da ferramenta fórum no espaço virtual de aprendizagem (EVA) – Simone Atayde Floriano Silva; Sandro Braga

4. Estilos foucaultianos: ditos, feitos e escritos – Silvia Inês Coneglian Carrilho de Vasconcelos

21/10 (14:30-16:00)

1. Sujeitos e poderes: o discurso de militares sobre a homossexualidade na polícia militar – Elso Soares Leite; Nilton Milanez

2. O outro corpo do(eu) – Sandro Braga

3. Sobre verdade e interpretação em Nietzsche e Foucault – Flávio Roberto Gomes Benites

4. História e discurso em Michel Foucault – André Luiz Joanilho; Mariângela Peccioli Galli Joanilho

22/10 (14:30-16:00)

1. Heterotopia e memória: um diálogo entre o real e o imaginário na construção histórica de um saber-poder sobre a frança – Andréa Zíngara Miranda; Pedro Navarro

2. Noções arqueológicas e Análise de Discurso: interrogando algumas continuidades forjadas – Jefferson Fernando Voss dos Santos

3. Discurso e Sujeito em Michel Foucault – Cleudemar Alves Fernandes

4. Efeito dos dêiticos como marcas de transição identitária no discurso indígena – Paulo Roberto de Souza Freitas

Bloco B – sala 318

GT 18 – Os discursos em/de Foucault II

Coordenadores: Sandro Braga (UNISUL); Fabio Luiz Lopes da Silva (UFSC)

20/10 (14:30-16:00)

1. O discurso da metafísica na arqueologia foucauldiana – Atílio Butturi Junior

2. Provocações glauberianas: constituição de identidades no discurso fílmico – Janaina de Jesus Santos

3. A metamorfose de Michael Jackson à luz da teoria foucaultiana – Denise Aparecida Moser

4. Foucault e Lacan: articulações possíveis – Maurício Eugênio Maliska

Bloco B – sala 319

GT 19 – A didatização dos saberes no ensino de língua materna: abordagens da Linguística Aplicada

Coordenadores: Sílvio Ribeiro da Silva (UFG/CAJ); Adriane Teresinha Sartori (UFMG)

20/10 (14:30-16:00)

1. Gêneros discursivos orais em perspectiva: a construção de sentidos por professores em formação inicial de história – Abdul Joari Lima

2. Gênero textual sob a ótica da retextualização: uma experiência de escrita e oralidade – José Ricardo Carvalho

3. Gêneros textuais e sequência didática: implicações para a prática pedagógica – Mariolinda Rosa Romera Ferraz; Adair Vieira Gonçalves

4. O (não)aproveitamento da pluralidade de gêneros textuais no ensino de produção de texto: uma análise de dois manuais de redação – Carlos Antônio Magalhães Guedelha

20/10 (16:30-18:00)

1. Letramento digital e escola: produzindo sentidos a partir dos dizeres de alunos de ensino médio – Laércio Rodolfo Guczak

2. As concepções de letramento de um professor-aluno em processo de formação continuada de Língua Portuguesa – Thaís Conceição dos Santos Veiga; Maria Emília Borges Daniel

3. Ensino de língua materna: importante papel social de construção de conhecimento – Cleide Inês Wittke

21/10 (14:30-16:00)

1. A Língua Portuguesa e a construção do conhecimento escolar – Marcelo Concário

2. Saberes didáticos: em favor do ensino ou da aprendizagem? – Marcos Gustavo Richter

3. A didatização dos saberes da linguística nos livros didáticos de português no ensino médio – Karina Giacomelli

4. A contribuição da linguística para a formação de sujeitos “competentes” e os entraves no percurso do ensino de língua materna – Fernanda Dias de Los Rios Mendonça

Bloco B – sala 320

GT 20 – Estudos dialetológicos e geolinguísticos

Coordenadores: Felício Wessling Margotti (UFSC); Vanderci de Andrade Aguilera (UEL)

20/10 (14:30-16:00)

1. Canjica ou mugunzá? – um estudo geolinguístico nas capitais brasileiras – Vanessa Yida; Vanderci de Andrade Aguilera

2. Estudos dialetológicos no Amazonas – Hariele Regina Guimarães Quara; Jeiviane dos Santos Justiniano

3. Os estudos dialetológicos no Brasil: as contribuições para o ensino da língua – Tadeu Luciano Siqueira Andrade

4. Novo Atlas Linguístico de Londrina: aspectos metodológicos – Valter Pereira Romano; Vanderci de Andrade Aguilera

20/10 (16:30-18:00)

1. A palatização da fricativa em coda silábica no falar florianopolitano e carioca: perspectiva fonológico-geolinguística – Alessandra Bassi; Felício Wessling Margotti

2. A metafonia funcional no sul do Brasil como termômetro de lusitanização dos falantes de variedades alemãs: um estudo sob o enfoque da pluridimensionalidade de dados – Marcelo Krug

3. A lateral alveolar em coda silábica nas capitais brasileiras: um estudo geolinguistico – Felício Wessling Margotti; Antonio José de Pinho; Olívia Pacheco de Souza

4. Comportamento fonético-fonológico da vogal posterior média fechada /o/, em contexto tônico, no falar dos municípios de Itacoatiara e Manacapuru – Edson Galvão Maia

21/10 (14:30-16:00)

1. A Epêntese no português dialetal de Florianópolis (PDF): um fenômeno fonológico visto sob a ótica da dialetologia pluridimensional – Luiz Fernando Hilleshein; Felício Wessling Margotti

2. Um estudo, em tempo real, do /r/ retroflexo no sul de Minas Gerais com base em dois corpora: Esboço de um Atlas Linguístico de MG (1977) e Atlas Linguístico do Brasil (ALiB, 2010) – Helen Cristina da Silva; Vanderci de Andrade Aguilera

3. Liquidificador, liquidação, questão e quatorze: o que dizem os dados do ALIB – Fabiane Cristina Altino

4. Percurso diacrônico dos fenômenos linguísticos: [õ]/[õw], [ʧ] e [ʤ] presentes na fala do Alto Pantanal – Mirami Gonçalves Sá dos Reis

22/10 (14:30-16:00)

1. A lusitanização de nomes em uma comunidade teuto-brasileira no sul do Brasil, numa perspectiva pluridimensional – Cristiane Horst

2. O papel e a vitalidade do Plautdietsch menonita em diversas comunidades menonitas do Brasil (RS, PR, GO) – Elvine Siemens Duck

3. O(s) Falar(es) açoriano(s) de  Santa Catarina:  discutindo o conceito de comunidade de fala no português de Florianópolis e de Laguna – Bruno Cardoso

4. Uma análise geossociolinguística da fala do Oeste do Paraná – Sanimar Busse

Bloco B – sala 321

GT 21 – Processos de construção textual I

Coordenadores: Iara Bemquerer Costa (UFPR); Luciana Pereira da Silva (UTFPR)

20/10 (14:30-16:00)

1. Processos argumentativos como  recursos de interação  em aulas para os ensino médio e superior – Paulo de Tarso Galembeck

2. Textos argumentativos sob a ótica sociodiscursiva de Jean-Michel Adam: primeiras aproximações – Evandro de Melo Catelão

3. Redação do Enem: analisando a argumentatividade – Luciene Paula Machado Pereira

4. O emprego de estratégias textual-discursivas na construção da orientação argumentativa no gênero editorial – Dulce Maria Lopes de Aguiar

20/10 (16:30-18:00)

1. Gênero e estilo: análise de artigos de opinião – Iara Bemquerer Costa

2. Lula & Dilma: humor e ironia em charges intertextuais – Suzete Silva; Esther Gomes de Oliveira

3. A intertextualidade no processo de criação da publicidade – Graziela Frainer Knoll

4. A transtextualidade no romance de fantasia Der Schrecksenmeister – Adriana Maximino dos Santos; Manuela Acássia Accácio

21/10 (14:30-16:00)

1. Da noção de hibridismo à noção de intergênero: uma análise da evolução dos gêneros textuais/discursivos – Atilio A. Matozzo

2. Polifonia em um livro didático de História – Vanessa Raini de Santana; Aparecida Feola Sella

3. Hibridização no gênero reportagem: informação e opinião – Fernanda Pereira da Silva; Neiva Maria Machado Soares

4. Uma abordagem textual para a tradução considerando a dependência de contexto – Mayelli Caldas de Castro

22/10 (14:30-16:00)                             

1. A (des)organização tópica de redações escolares – Jacqueline Costa Sanches Vignoli

2. Processos de retomada em conto de Eça de Queirós: um olhar voltado para o ensino – Aparecida Feola Sella; Marly de Fátima Gonçalves Tavares

3. Procedimentos de construção do texto falado – Luciane Braz Perez Mincoff

4. Fatores que influenciam a (in)coerência na produção de textos – Jaqueline Da Glória Farias Gonçalves; Karen Calonaci Gonçalves

Bloco B – sala 323

GT 21 – Processos de construção textual II

Coordenadores: Iara Bemquerer Costa (UFPR); Luciana Pereira da Silva (UTFPR)

20/10 (14:30-16:00)

1. O gênero textual resposta interpretativa em situação de vestibular: um estudo do estilo linguístico – Ana Maria da Silva; Renilson José Menegassi

2. O reconhecimento e a construção dos gêneros do eixo do argumentar- “Tenho tudo na cabeça, várias idéias [...] na hora de colocar no papel, complica” – Silvana Schork

3. O papel do professor e dos comandos textuais na escrita de alunos do Ensino Médio: uma análise da coerência – Lília Schainiuka

4. A leitura como critério de avaliação para textos produzidos  em situação de Exame Vestibular – Luciana Pereira da Silva

20/10 (16:30-18:00)

1. A coesão textual na escrita de surdos: um estudo dos referentes e a formação da continuidade tópica – Gláucia dos Santos Vianna

2. A textualidade e os sinais de pontuação no texto acadêmico – Clarice Vaz Peres Alves; Magda Floriana Damiani

3. A presença de anáforas associativas na sequência textual argumentativa – Daniela Zimmermann Machado

4. Linguagem escrita em ciências contábeis: a complexidade na prática da produção de textos – Rosiani Teresinha Soares Machado; Débora Gomes Machado; Marco Antônio Adamoli

21/10 (14:30-16:00)

1. A constituição de frames em cartas do leitor – Isabel Cristina Cordeiro; Rosemeri Passos Baltazar Machado

2. As representações de gêneros textuais escritos em crianças ainda não alfabetizadas – Angela Mari Gusso

3. Os processos de produção e revisão textual por aprendizes da escrita a partir do trabalho com os gêneros discursivos – Suzana Lima Vargas; Aida do Amaral Antunes; Andreza de Souza Fernandes; Heloana Cardoso; Josiane Silveira Coimbra

4. A escrita do gênero discursivo tira em quadrinhos em uma sequência didática – Natalia Gonçalves Moterani; Renilson José Menegassi

22/10 (14:30-16:00)

1. A construção do humor nas “frases engraçadas” veiculadas em Os vigaristas – Raquel Camargo Trentin;Ana Cristina Carmelino

2. O texto da lei: uma análise da construção do sentido da lei com base na revisão de sua revisão final – Morgana Carina Lenzi; Rita de Cássia Fernandes Signor

3. Contribuições da Linguística Textual para a análise da coerência em hipertextos – Gislaine Gracia Magnabosco

Bloco D – sala 113

GT 22 – Cognição, relevância e interface semântico-pragmática

Coordenadores: Fábio José Rauen (Unisul); Jorge Campos da Costa (PUCRS)

20/10 (14:30-16:00)

1. A constituição da competência do tradutor no Brasil a partir de uma perspectiva relevantista – José Luiz Vila Real Gonçalves

2. Por falar em humor... A relevância da cognição na interpretação da piada – Sebastião Lourenço dos Santos; Elena Godói

3. A relevância do gatilho na busca da compreensão das piadas – Sídnei Cursino Guimarães Romão

4. Análise de processos interacionais do quadro cenas improváveis de Improvável – um espetáculo provavelmente bom: estudo de caso com base na Teoria da Relevância – Fábio José Rauen; Layla Antunes de Oliveira

20/10 (16:30-18:00)

1. A relevância das emoções – Cláudia Strey

2. Sobre perder a cabeça, rugir ou explodir: processos inferenciais e a conceitualização linguística de uma emoção como a raiva – Aline Aver Vanin

3. A relevância das atividades de compreensão textual – Jane Rita Caetano da Silveira

4. Análise de redações de vestibular a partir da Teoria da Relevância: o desenvolvimento do tema e do ponto de vista – Isabel da Silva Janostiac

5. Escrita coletiva de texto por alunos de 5ª série do ensino fundamental: análise com base na teoria da relevância – Eloíse Machado de Souza Alano

21/10 (14:30-16:00)

1. Relevância e disjunção – Jorge Campos da Costa

2. Os processos inferenciais em House: uma análise na interface semântica-pragmática-lógica – Daisy Batista Pail

3. O Processo Inferencial na Interface Texto/Imagem – Stéphane Rodrigues Dias

4. Análise de Telejornal a luz da Teoria da Relevância – Luiza Helena Müller dos Santos

22/10 (14:30-16:00)

1. Categorização, dá para não fazê-la? – Magdiel Medeiros Aragão Neto

2. Epidemiologia do assujeitamento nos discursos organizacionais – Aristeu Mazuroski Jr.; Mauricio F. N. Benfatti

3. Contribuições da teoria da relevância para a etiquetagem de rupturas na comunicação homem computador – Neli Miglioli Sabadin

4. O coelho da cartola – análise argumentativa da linguagem jurídica em textos ficcionais sob a ótica da teoria da relevância – Edivania da Costa Ramos

5. Modalidade epistêmica e atenção nas estratégias de polidez em petições judiciais cíveis – Mariana Paula Muñoz Arruda; Elena Godói

Bloco D – sala 114

GT 23 – Articulação de predicados

Coordenadores: Patrícia de Araujo Rodrigues (UEL); Heloísa Salles (UnB)

20/10 (14:30-16:00)

1. Propriedades das sentenças pseudo-clivadas – Julia Orie Yamamoto

2. Você viu QUEM chegar? Uma análise de sentenças infinitivas com sujeitos-Wh – Paulo Medeiros Junior

3. Fronteamento de constituintes oracionais – Gesoel Mendes

4. Qual o contexto estrutural das small clauses e dos predicados secundários? – Marcos Barbosa Carreira

20/10 (16:30-18:00)

1. Alternância transitivo-incoativa em Kaingang – Michel P. A. Navarro

2. A impossibilidade de resultativas adjetivais em alemão com verbos inacusativos e transitivos – Andrea Knöpfle

3. Sobre as possibilidades de expressão de estado resultante com predicados complexos: uma proposta de convergência em estrutura argumental – Julio Barbosa; Ana Paula Scher

4. Sanapaná: Sentenças Relativas em Sanapaná – Antonio Almir Silva-Gomes

21/10 (14:30-16:00)

1. A categoria tempo em nominais – Déborah Christina de Mendonça Oliveira; Heloisa Salles

2. Articulando núcleos sintáticos e o futuro: a hipótese wollP – Marcus Vinicius Lunguinho 

3. Auxiliares: uma subclasse dos verbos de reestruturação – Núbia Saraiva Ferreira Rech

22/10 (14:30-16:00)

1. “Nós ficamos felizes estudando”: uma reflexão sobre as relativas no gerúndio em small clauses – Cindy Mery Gavioli; Mariana Medeiros Trautwein

2. Uma proposta unificada para o fenômeno da flutuação do quantificador ‘todos’ – Helena da Silva Guerra Vicente

3. O gerúndio como complemento dos verbos volitivos – Patrícia de Araujo Rodrigues

Bloco D – sala 115

GT 24 – Instabilidades em contextos de aquisição e de perda da linguagem I

Coordenadores: Lourenço Chacon (UNESP); Ana Ruth Moresco Miranda (UFPel)

20/10 (14:30-16:00)

1. A terapêutica da linguagem em cérebro-lesado adulto com estereotipia verbal – Lilian Zaniboni

2. O discurso reportado direto compondo a estrutura geral de uma narrativa contada por uma pessoa com afasia – Lívia Miranda de Oliveira; Mônika Miranda de Oliveira

3. Momentos de quebra na amarração dos significantes na atividade enunciativo-discursiva de um sujeito parkinsoniano e de um sujeito sem lesão neurológica – Maira Camillo; Lourenço Chacon

4. Processos linguístico-cognitivos na linguagem de idosos – Nirvana Ferraz Santos Sampaio

20/10 (16:30-18:00)

1. A questão do diálogo no campo da intervenção clínica em Fonoaudiologia – Silvana Perottino

2. Crianças com dificuldades de aprendizagem (DAp): relação com Déficit Específico da Linguagem (DEL) e desenvolvimento da Teoria da Mente – Wanderson Ferreira Bomfim

3. A segmentação não-convencional de palavras: análise das suas características morfo-fonológicas – Luciani Tenani

4. As diferenças entre as segmentações não-convencionais da escrita no PB e no PE e a relação com a possível diferença rítmica dessas duas variedades do português – Ana Paula Nobre da Cunha

21/10 (14:30-16:00)

1. Dado de escrita e a percepção da nasalidade vocálica por adultos brasileiros aprendizes de Francês Língua Estrangeira (FLE) – Claudia Regina Minossi Rombaldi

2. Indícios de uma instabilidade perceptual-auditiva em crianças pré-escolares na identificação de oclusivas – Larissa Cristina Berti

3. A grafia das vogais átonas finais: um estudo comparativo entre o PB e o PE – Carolina Reis Monteiro; Ana Ruth Moresco Miranda

4. A trajetória do conhecimento morfológico da criança: uma análise à luz do modelo de Redescrição Representacional, de Karmiloff-Smith (1992) – Aline Lorandi

22/10 (14:30-16:00)

1. A grafia das proparoxítonas nos dados de aquisição da escrita: um estudo sobre acentuação gráfica e a influência prosódica – Luanda Alvariza Gomes Ney

2. Análise prosódica dos usos não-convencionais de vírgula em esquema duplo – Geovana Carina Neri Soncin

3. Reelaboração e escrita infantil – Cristiane Carneiro Capristano

Bloco D – sala 116

GT 24 – Instabilidades em contextos de aquisição e de perda da linguagem II

Coordenadores: Lourenço Chacon (UNESP); Ana Ruth Moresco Miranda (UFPel)

20/10 (14:30-16:00)

1. Uma perspectiva discursiva sobre a hesitação – Julyana Chaves Nascimento

2. A escrita hipossegmentada de alunos de EJA – Carmen Regina Gonçalves Ferreira

3. As consoantes em coda silábica simples e a aquisição da escrita de alfabetizandos da Educação de Jovens e Adultos – Luana Passos

4. Uso não-convencional da vírgula: indícios da relação entre enunciados orais/falados e letrados/escritos – Ana Carolina Araújo

20/10 (16:30-18:00)

1. Um olhar discursivo sobre as falas ecolálicas – Natália Faloni Coelho

2. Elementos cristalizados em enunciados de um sujeito com doença de Parkinson – Ymorian Vilela Zwarg

3. O que sabem os professores sobre as contextualidades e arbitrariedades do sistema ortográfico do Português? – Pâmela Renata Machado Araújo

4. Uma discussão sobre o estatuto fonológico dos ditongos variáveis ‘ai’ e ‘ei’ – Marco Antônio Adamoli  

Bloco D – sala 117

GT 25 – De que adianta uma gramática dar conta dos dados se ela for impossível de ser adquirida pela criança? Pelo resgate da Adequação Explicativa!

Coordenadores: Maximiliano Guimarães (UFPR); Ruth E. V. Lopes (UNICAMP)

20/10 (14:30-16:00)

1. Aspectos inatos e não inatos na aquisição de itens anafóricos – Elaine Grolla

2. A aquisição de estruturas inalienáveis adjetivas com verbos possessivos em português brasileiro – Fernanda Mendes

3. Aquisição de alternância causativa no PB – Teresa Cristina Wachowicz

20/10 (16:30-18:00)

1. Verbos psicológicos, hipóteses de mapeamento da estrutura argumental e aquisição da linguagem – Beatriz Carneiro; Rozana Reigota Naves

2. A estrutura do silêncio na gramática da criança – Ruth Lopes

3. Pela integração das áreas de aquisição de linguagem e teoria & análise gramatical – Maximiliano Guimarães

Bloco D – sala 118

GT 26 – Abordagens acústicas em estudos segmentais e suprassegmentais do português brasileiro

Coordenadores: Izabel Christine Seara (UFSC); Adelaide H. Pescatori Silva (UFPR)

20/10 (14:30-16:00)

1. Frase entoacional (I) no estudo da fala sob suspeição: em busca de evidências da Fonologia EntoacionalJael Sânera Sigales Gonçalves; Carmen Lúcia Barreto Matzenauer

2. Efeitos da frequência fundamental (F0) na emoção: um estudo preliminar- Juliana Cemin

3. O padrão entoacional das sentenças clivadas e pseudo-clivadas invertidas do PB – Flávio Martins de Araújo

4. A mudança de tessitura em sujeitos pospostos de small clauses – Karina Zendron da Cunha

20/10 (16:30-18:00)

1. Análise Acústica do RotacismoLuciane Trennephol da Costa

2. O apagamento de vogais átonas: o falar florianopolitanoVanessa Gonzaga Nunes

3. Um estudo acústico da monotongação de [ow]Carla Cristofolini

4. Algoritmo de análise automática de formantes em vogais orais – Leonardo Oliveira; Pablo Arantes; Denise Pozzani

21/10 (14:30-16:00)

1. Plosivas surdas aspiradas diante de vogal alta posterior em final de palavra no PB Mariane Antero Alves; Eva Christina Orzechowski Dias

2. Evidências da relação entre duração segmental e percepção de fricativas surdas e sonoras Audinéia Ferreira-Silva

3. Produção de fricativas por sujeitos disártricos: Análise da transição de F2 como pista acústica para distinção do local de constrição – Maria Francisca de Paula Soares

4. O que a análise acústica revela sobre dados de fala (patológica) na fissura palatina – Rita Tonocchi; Adelaide H. P. Silva

22/10 (14:30-16:00)

1. Análise acústica de sequências de fricativas seguidas de [i] produzidas por japoneses aprendizes de português brasileiroFlávio Ricardo Medina de Oliveira

2. Interfonologia: Aquisição do Ichlaut e do Achlaut do Alemão Padrão (AP) por estudantes brasileiros de alemão como língua-estrangeira – Mágat Nágelo Junges

3. A caracterização de dados de aquisição de L2: novo olhar sobre a dessonorização terminalJeniffer Imaregna Alcantara de Albuquerque

4. Entre o acústico e o articulatório: um debate sobre a natureza da percepção da fala – Gustavo Nishida

Bloco D – sala 119

GT 27 – Variação e mudança I

Coordenadores: Odete Pereira da Silva Menon (UFPR); Edson Domingos Fagundes (UTFPR); Loremi Loregian-Penkal (UNICENTRO)

20/10 (14:30-16:00)

1. "Água, eu tenho" e "cinquenta, é o picolé": um estudo sociolinguístico dos deslocamentos à esquerda e das topicalizações na fala informal carioca – Lincoln Marco da Silva Salles

2. A redução de ditongos orais decrescentes no Português Brasileiro do Sul do Brasil: descrição e generalização – Eduardo Elisalde Toledo; Valéria Neto de Oliveira Monaretto

3. Uso e variação de nós e a gente na fala e escrita de alunos do Ensino Fundamental – Ana Kelly Borba da Silva Brustolin

4. Uma abordagem sociolinguística da concordância nominal de número no falar dos habitantes do município de Benjamin Constant – Flávia Santos Martins

20/10 (16:30-18:00)

1. Análise da concordância nominal em Londrina, PR – Loremi Loregian-Penkal; Edson Domingos Fagundes; Odete Pereira da Silva Menon

2. Povo dividido e língua partilhada: questões sobre a formação da norma culta brasileira – Hosana dos Santos Silva

3. A constituição de corpora orais para análise das formas de tratamento – Viviane Maia dos Santos

4. Alçamento da vogal média /e/ em posição átona final pelos falantes da comunidade de Rincão Vermelho-RS: Análise dos fatores linguísticos e sociais – Susiele Machry da Silva

21/10 (14:30-16:00)

1. A flexão de grau do diminutivo inho na língua falada: valores dimensivos e expressivos de uso – Aline Renée Benigno dos Santos; Sebastião Sales Bueno Júnior; Roziane Keila Grando

2. A concordância nominal de número na produção oral de crianças – Simone Daise Schneider;  Luciene Juliano Simões

3. Variação na Concordância Verbal de Terceira Pessoa do Plural no PB e no PE – Isabel de Oliveira; Silva Monguilhott

4. Uma análise funcional do “tipo assim”: aspectos gramaticais e discursivos – Valéria Viana Sousa

22/10 (14:30-16:00)

1. Mapeando a Entrada de você no Quadro Pronominal: Análise de Cartas Familiares dos Séculos XIX-XX – Janaina Pedreira Fernandes de Souza

2. Síncope e Apócope: Processos de redução de proparoxítonos na fala do sul do país – Raquel Gomes Chaves

3. A escrita e a fala: contextos de preenchimento ou não da posição objeto no Português Brasileiro – Tatiane Macedo Costa

4. Concordância verbal em construções passivas pronominais – Marcia dos Santos Machado Vieira

Bloco D – sala 211

GT 27 – Variação e mudança II

Coordenadores: Odete Pereira da Silva Menon (UFPR); Edson Domingos Fagundes (UTFPR); Loremi Loregian-Penkal (UNICENTRO)

20/10 (14:30-16:00)

1. Ditongação em contexto vogal + /S/ – Daniel Bartholomeu N. da Costa Silva; Silvia Figueiredo Brandão

2. A variação no gênero gramatical: uma triangulação entre o falar cuiabano, o dialeto caipira e o português europeu – José Leonildo Lima

3. A elisão de /s/, em coda silábica, no espanhol falado na cidade de Salto (Uruguai) – Clara da Silva

4. As construções SNplen e SNpro no Português do Brasil – Maria Cecília de Magalhães Mollica; Maria Luiza Braga

20/10 (16:30-18:00)

1. O papel da frequência de uso na mudança por analogia: o caso do futuro do subjuntivo – Diana Liz Reis

2. Os contextos de uso dos MDs de base verbal em peças teatrais catarinenses dos séculos XIX e XX – Cláudia A. Rost Snichelotto

3. O verbo estar em formação perifrástica com particípios verbais: um caso de gramaticalização – Paula Cristina dos Reis

4. O Verbo haver como verbo pleno e como auxiliar em perífrase de futuro – Maria José Ferreira Strogenski

21/10 (14:30-16:00)

1. Um refinamento na análise das construções de deslocamento à esquerda no português brasileiro – Mayara Nicolau de Paula

2. Os valores semânticos das preposições A e PARA em manuscritos dos séculos XVIII e XIX – Cláudio de Assis da Cunha

3. Do estado da língua portuguesa em textos de “A Paladina do Lar”: uma descrição preliminar – Jorge Augusto Alves da Silva. Doutor

4. A sociolinguística aplicada ao ensino e a discriminação reversa – Carlos Eduardo de Oliveira Lara

22/10 (14:30-16:00)

1. Concordância verbal – instrumento de afirmação do indivíduo no grupo (?) – Eliane Vitorino de Moura Oliveira

2. Hipocorização na Perspectiva Variacionista – Luciana Lucini

3. O sincretismo entre formas pronominais de segunda pessoa em cartas de 1930 – Érica Nascimento Silva

4. A colocação de clíticos nas orações dependentes na história do Português Europeu – Ana Luiza Araújo Lopes

Bloco D – sala 212

GT 28 – Variação, mudança e gênero textual: relações em construção

Coordenadores: Rosane de Andrade Berlinck (UNESP); Juliana Bertucci Barbosa (UFTM)

20/10 (14:30-16:00)

1. Variação e mudança atestada em textos jornalísticos do século XIX e XX – Aline Peixoto Gravina

2. TER e HAVER em gêneros da esfera publicitária e jornalística: variação, conservação e mudança – Juanito Avelar

3. A variação das formas verbais TER e HAVER em textos escritos no século XIX – Solange Mendes Oliveira

4. Variação nos gêneros de jornal? Contribuições para o fazer do historiador da língua – Rosane de Andrade Berlinck

20/10 (16:30-18:00)

1. O objeto direto anafórico de terceira pessoa na escrita de ilustres do século XIX – Carolina de La Vega Soledade

2. Um enfoque diacrônico no domínio da junção: o caso de ASSIM QUE – Lúcia Regiane Lopes-Damasio

3. A ordem de constituintes sentenciais no português paulista – Priscilla Barbosa Ribeiro

21/10 (14:30-16:00)

1. Variação linguística em jornais de Uberaba do início do século XX – Juliana Bertucci Barbosa

2. As implicações das diferenças de âmbito de incidência da ‘condicional modalizadora’ se não me engano – Taísa Barbosa Robuste

3. Representação gramatical do sujeito enunciador no discurso científico: um caso de variação? – Angela Marina Bravin dos Santos; Tania Mikaela

22/10 (14:30-16:00)

1. A influência da posição do sujeito no processo de concordância verbal: uma análise sociolinguística em gêneros textuais escritos de imprensa – Paola Goussain de Souza Lima

2. O auxílio dos gêneros discursivos para um trabalho de conscientização linguística na escola – Maridelma Laperuta Martins

3. O futuro do futuro do presente: variação ou mudança? – Marcela Langa Lacerda Bragança

Bloco D – sala 213

GT 29 – Gêneros do discurso: ferramenta de socialização e construção de saberes

Coordenadores: Jane Quintiliano Guimarães Silva (PUC/MINAS); Rosângela Hammes Rodrigues (UFSC)

20/10 (14:30-16:00)

1. Escrita de Memoriais: refletindo sobre a construção identitária do professor – Jane Quintiliano Guimarães Silva

2. Um olhar sobre a formação inicial do professor de Língua Portuguesa e a elaboração didática dos gêneros do discurso – Ana Paula Kuczmynda da Silveira

3. Gêneros discursivos: possibilidades nas séries iniciais – Cátia Amara Horst; Clair Fátima Zacchi

4. A formação continuada e o trabalho com gêneros no ensino de Língua Portuguesa – Nara Caetano Rodrigues

20/10 (16:30-18:00)

1. O Portfólio Cronológico como ferramenta no ensino e aprendizagem de Língua Portuguesa – Vaima Regina Alves Motta

2. “Será que eu vou conseguir escrever assim um dia?”: representações sociais sobre os gêneros acadêmico-científicos na formação de professores – Juliana Alves Assis; Maria Angela Paulino Teixeira Lopes

3. Leitura e produção de textos no ensino superior: uma experiência com o gênero discursivo Crônica – Ulisses Junior Longhi

4. As disciplinas de escrita nos cursos de Graduação em Relações Públicas vistas à luz dos gêneros – Aline Ferreira Lira

21/10 (14:30-16:00)

1. Monografia: um instrumento da argumentação – Maria Teresinha Py Elichirigoity

2. O tratamento dado à perspectiva de gênero em instituições de educação profissionalizante – Fernanda Pizarro de Magalhães

3. Critérios para a seleção de gêneros do discurso para elaboração didática: aleatoriedade ou fundamentação? – Rodrigo Acosta Pereira; Gianka Salustiano Bezerril; Glícia Azevedo Tinoco

4. Letramento, gênero e cultura: ensino-aprendizagem de escrita – Maria do Socorro Oliveira

22/10 (14:30-16:00)

1. O gênero anúncio classificado nas práticas de produção textual escrita – Nívea Rohling da Silva

2. Charge e clipe musical: uma proposta de leitura multimodal – Cláudia Goulart; Walleska Bernardino Silva

3. Os contos de fada no ensino de leitura em inglês (LE): uma proposta de sequência didática – Caroline Costa Pereira

4. Os gêneros do discurso nas aulas de língua portuguesa: transposição didática ou elaboração didática? – Rosângela Hammes Rodrigues

Bloco D – sala 214

GT 30 – O Léxico em perspectiva: descrição e tratamento I

Coordenadores: Giselle Mantovani Dal Corno (UCS); Maria José Bocorny Finatto (UFRGS)

20/10 (14:30-16:00)

1. Identificação e análise de Combinatórias Léxicas Especializadas: exploração com corpus paralelo – Anna Maria Becker Maciel; Cláudia Mendonça Scheeren

2. Empréstimos do Português no Vocabulário da Academia da Crusca: Fior di Farina ou Crusca? – Benilde Socreppa Schultz

3. Unidades terminológicas do meio ambiente em textos especializados e textos não especializados – Cristiane Krause Kilian

4. Criações lexicais na poética de João Cabral de Melo Neto: uma abordagem léxico-estilística – Gisele Alves; Clotilde de Almeida Azevedo Murakawa

20/10 (16:30-18:00)

1. Léxico e identidade regional nas comunidades da antiga rota dos tropeiros – Giselle Olívia Mantovani Dal Corno

2. Estudo do vocabulário no jornalismo popular brasileiro: o caso do Diário Gaúcho – Maria José Bocorny Finatto

3. As Ciências Naturais entre conceitos novos e antigos: a dinâmica das denominações – Mariângela de Araújo

4. Lexicografia contrastiva de sufixos nominais do português brasileiro e europeu – Milena Uzeda Garrão; Sebastião Filho; Violeta Quental

21/10 (14:30-16:00)

1. O uso de dicionários monolingues em produções textuais – Rosane Maria Bolzan; Adja Balbino de Amorim Barbieri Durão

2. O registro de termos em dicionário geral de língua: um estudo comparativo – Sabrina Pereira de Abreu

3. Análise e descrição da variação conceptual a partir do corpus de especialidade – Sebastião Camelo da Silva Filho

4. História da palavra em Benveniste – Sheila Elias de Oliveira

22/10 (14:30-16:00)

1. Lusismos no vêneto sul-rio-grandense – Vitalina Maria Frosi; Carmen Maria Faggion

2. Da descrição dos usos da língua ao ensino de tradução: combinatórias textuais em língua alemã  – Luciane Leipnitz

3. Proposta de organização parcial da terminologia da Polícia Judiciária do Estado do RS – Maria Izabel Plath da Costa

4. Investigação lexicogramatical dos verbos pronominais – Aline Camila Lenharo

Bloco D – sala 215

GT 30 – O Léxico em perspectiva: descrição e tratamento II

Coordenadores: Giselle Mantovani Dal Corno (UCS); Maria José Bocorny Finatto (UFRGS)

20/10 (14:30-16:00)

1. Terminologia em Movimento: um estudo de caso de termos da ALADI – Amanda Duarte Blanco

2. Variantes linguísticas e extralinguísticas no domínio da Astronomia – Ana Maria Ribeiro de Jesus

3. Registro lexicográfico de itens afixais à luz da Morfologia Construcional – Carla Maria Bastos Dos Santos

4. Estudo lexicográfico da língua Terena: algumas questões – Denise Silva

20/10 (16:30-18:00)

1. Expressões idiomáticas: o que o uso de corpus pode nos revelar acerca delas – Ilson Rodrigues da Silva Jr.

2. Uma proposta de definição macroestrutural qualitativa para um dicionário bilíngue escolar passivo (inglês-português) – Isabel Cristina Tedesco Selistre

3. Configurações sintático-semânticas das unidades fraseológicas especializadas: o caso do léxico militar – Sabrina Araújo Pacheco

4. O emprego de ilustrações como mecanismos de elucidação do significado das unidades léxicas nos dicionários de língua – Virginia Sita Farias 

Bloco D – sala 216

GT 31 – Metáfora e cognição

Coordenadores: Luciane Corrêa Ferreira (UFC/ UFMG); Maity Siqueira (UFRGS)

20/10 (14:30-16:00)

1. Compreensão de metáforas relacionadas à cultura gaúcha – Maitê Moraes Gil

2. Entendendo as projeções conceptuais na fala de pacientes esquizofrênicos – Nelson Ferreira Junior; Paulo Henrique Duque

3. Conceitualização de SERRA GAÚCHA no discurso turístico publicitário – Garine Andréa Keller; Heloísa Pedroso de Moraes Feltes

4. Relações de sentido metafóricas e não metafóricas em um teste de memória sobre representação lexical – Tamara Melo de Oliveira

5. Representação da semântica dos compostos nominais em língua inglesa através de templates: um estudo de corpus paralelo – Lílian Figueiró Teixeira; Rove Luiza de Oliveira Chishman

20/10 (16:30-18:00)

1. Mapeamento conceptual de expressões idiomáticas – Débora Taís Batista de Abreu; Rove Luiza de Oliveira Chishman

2. Da relação entre frames e metáforas: o caso das recategorizações metafóricas no contexto da retórica neopentecostal – Erik Fernando Miletta Martins; Edwiges Morato

3. Legendação de metáforas: um estudo empírico-experimental – Sila Marisa de Oliveira; Arlene Koglin

4. Futebol é religião – Priscila Urano de Carvalho Ferreira

5. Conceitualização de SERRA GAÚCHA no discurso turístico publicitário – Garine Andréa Keller;  Heloísa Pedroso de Moraes Feltes

6. Metáfora e Metonímia – relações paradigmáticas e sintagmáticas na estruturação de conceitosFelipe Iszlaji de Albuquerque

21/10 (14:30-16:00)

1. Anotação semântica de frames dos verbos de movimento na temática do futebol – Guilherme Tiecher Figueiró; Rove Luiza de Oliveira Chishman

2. De “pretinhosidade a namorido”: opacidade e transparência nos cruzamentos vocabulares do português do Brasil – Hayla Thami da Silva; Lilian Ribeiro Furtado; Rosângela Gomes Ferreira

3. Abordagens pscico e neurolinguísticas do léxico – Lucilene Bender de Sousa; Rosângela Gabriel

4. A categorização de VIOLÊNCIA: questões metodológicas em pesquisa qualitativa com entrevistas semi-estruturadas – Morgana Larissa Säge; Heloísa Pedroso de Moraes Feltes

5. Propagandas de mau gosto – uma análise cognitiva da compressão das relações vitais PAPEL-VALOR na construção de sentidos de textos publicitários “impublicáveis” – Natalia de Lima Nobre; Elaine Cristina Alves da Costa; Paulo Henrique Duque

22/10 (14:30-16:00)

1. As projeções conceptuais de vida e morte em joão cabral: a relação entre linguagem, cultura e cognição – Ricardo Yamashita Santos; Marcos Antonio Costa

2. O status construcional do sinalizador olha só: uma proposta de reanálise – Juliana Esposito Marins

3. A metáfora no contexto midiático sócio-discursivo- Poliana Coeli Costa Arantes

4. A estrutura sintática e semântica dos delírios de perseguição e de referência na esquizofrenia paranóide: um estudo de caso – Wasney de Almeida Ferreira

5. O papel da metáfora na relação entre sentenças possessivas e existenciaisDiogo Pinheiro

Bloco D – sala 217

GT 32 – Ambientes virtuais de aprendizagem e letramentos na perspectiva da complexidade e/ou da atividade

Coordenadores: Vilson J. Leffa (UCPEL); Maximina M. Freire (PUCSP)

20/10 (14:30-16:00)

1. O mesmo dedo que se ergue é o que clica: possibilidades de construção na sala de aula virtual – Ana Cláudia Pereira de Almeida

2. A interação nos fóruns de discussão no curso de Letras Espanhol: Modalidade a distância (UFSC): uma trajetória ao encontro do outro – Camila Teixeira Saldanha; Noemi Teles de Melo

3. Interagir via videoconferência em uma aula de língua estrangeira... é possível? – Carla Raqueli Navas Lorenzoni; Ucy Soto

4. Gêneros como formas de vida, modos de ser: um estudo sob a perspectiva da teoria da atividade – Christiane Heemann

20/10 (16:30-18:00)

1. A dificuldade do desenho e da implementação de cursos a distância à luz da teoria da complexidade em um dos campos avançados de uma Universidade Estadual – Maria Eugenia Witzler D’Esposito; Rogério da Costa Neves

2. Jogos eletrônicos como texto e instrumento de aprendizagem: a utilização de narrativas emergentes na formação do sujeito aprendiz – Fernando da Silva; Sandro H. Brincher

3. Introdução ao uso de ferramentas de desenvolvimento de materiais de treinamento e aprendizagem para EAD – Fernando da Silva

4. Atividades virtuais: utilização pedagógica de tarefas no ensino de língua estrangeira – Gustavo Lopez Estivalet

21/10 (14:30-16:00)

1. O uso de TICS para o ensino de língua portuguesa e literaturas no ensino médio – José Carlos Vieira Júnior

2. Leio para que Leias: literatura hispânica on-line para deficientes visuais – Marcus Vinícius Liessem Fontana

3. Complexidade e transdisciplinaridade no desenho de cursos de inglês – Maximina M. Freire

4. As ferramentas chat e fórum de discussão como espaço de reflexão sobre as novas tecnologias no ensino-aprendizagem de línguas na formação inicial dos graduandos da faculdade de letras da UFJF – Rodrigo Queiroz da Silva; Elaine Leite Araújo Silva

22/10 (14:30-16:00)

1. A escrita colaborativa realizada em ambiente virtual sob a perspectiva da complexidade – Sérgio Gartner Pais de Oliveira

2. Blog: ambiente de interação e aprendizagem – Simone Carboni Garcia 

3. Redesenhando uma disciplina de ele – o design instrucional sob a ótica da complexidade – Vanessa Ribas Fialho

4. Não tem tu, vai tu mesmo: interação e interatividade no ensino da produção textual à distância – Vilson J. Leffa

GT 33 – [cancelado]

 

Bloco D – sala 218

GT 34 – Aspectos do português falado em São Paulo: abordagens sociofuncionalistas

Coordenadores: Anna Christina Bentes (UNICAMP); Sebastião Carlos Leite Gonçalves (UNESP- Rio Preto)

20/10 (14:30-16:00)

1. Orações subjetivas e mudança de padrões na história do português – Sebastião Carlos Leite Gonçalves

2. Convergências e divergências entre a concordância verbal de primeira e de terceira pessoas do plural na fala do interior paulista – Cássio Florêncio Rúbio

3. A gramaticalização das categorias verbais e a gramaticalização de ir+infinitivo: trajetórias (in)compatíveis? – Ana Maria Hernandes da Fonseca

4. A possibilidade de alternância entre as formas andar, continuar, ficar, e viver + NDO – Flávia Orsi Fernandes

5. Os graus de hipoteticidade na construção condicional: variação de tempo e modo – Taísa Peres de Oliveira

20/10 (16:30-18:00)

1. Ordenação de constituintes em sentenças declarativas: uma análise do português falado no interior de São Paulo à luz da Gramática Discursivo-Funcional – Michel Gustavo Fontes

2. Análises preliminares dos predicados encaixadores acabar, acontecer e começar na interface Gramaticalização e Gramática Discursivo-funcional – Tatiana Mazza da Silva

3. Fatores discursivo-pragmáticos na variação: o caso das interrogativas de constituinte – Lívia Oushiro

4. Empregos indeterminados de você/cê em São Paulo – Ivanete Nascimento

21/10 (14:30-16:00)

1. Um estudo discursivo-funcional dos usos de “assim” no Português falado do interior paulista: níveis e camadas de atuação – Edson Rosa Souza

2. Os sentidos de “depois” na fala do interior paulista – Moema Guiduce Nogueira

3. Atos Discursivos Interativos – Eduardo Penhavel; Alessandra Regina Guerra

4. “Dá pra dar um jeitinho?” – Diminutivos e a construção de uma identidade – Ronald Beline Mendes

22/10 (14:30-16:00)

1. A elaboração de estilo de fala e construção do ethos de um sujeito afásico em situações conversacionais: algumas considerações acerca do uso da linguagem nas afasias – Caio César Costa Ribeiro Mira

2. Estilização paródica e variação: o caso do programa de rádio “Os manos” – Cássia Michela Alves Nogueira

3. A polidez em entrevista sociolinguística com jovens universitários paulistas: considerações sobre o uso de palavrões – Vivian Cristina Rio

4. Algumas considerações sobre o registro dos manos paulistas no Programa “Manos e Minas”, da TV Cultura – Anna Christina Bentes; Lívia Bertolazzi Granato

Bloco D – sala 219

GT 35 – Letramento midiático na escola e gêneros textuais

Coordenadores: Marcos Baltar (UFSC); Simone Borges da Silva (UFBA)

20/10 (14:30-16:00)

1. Mídia e escola: letramentos e gêneros textuais – Marcos Baltar

2. O trabalho em LPT (Leitura e Produção de Textos) sobre a produção midiática como capacitação do aluno para atuação no espaço público: um projeto – Bruno B.A.Dallari

3. Os conteúdos midiáticos sobre padrões de beleza pela ótica adolescente: uma proposta de multiletramento para o Ensino Médio – Gisele Cristina Cohen Fonseca

4. A divulgação científica para crianças e adolescentes: o gênero e a formação de leitores – Simone Borges da Silva

5. Da análise à prática: uma proposta de letramento científico – Cristina dos Santos Lovato; Tânia Maria Moreira

20/10 (16:30-18:00)

1. Os gêneros argumentativos do jornal: relações e distinções – Adair Bonini

2. A utilização do jornal escolar como metodologia de ensino de Língua Portuguesa e sua influência na aprendizagem em sala de aula – Vanessa Wendhausen Lima

3. O processo de escritura através dos gêneros textuais: produção do jornal em sala de aula – Lourdes Cividini Cassarotti

4. A Rádio Papagaio está no ar: uma experiência com o gênero oral entrevista radiofônica – Thaís Hoffmann dos Reis

21/10 (14:30-16:00)

1. As concepções de ensino de gêneros textuais: experiência de um professor-aluno em processo de formação continuada de língua portuguesa – Thaís Conceição dos Santos Veiga; Maria Emília Borges Daniel

2. Mídias integradas na educação básica: rumo ao letramento dos professores – Nilceia Bueno Oliveira

3. Contextos individuais para letramento digital na educação de jovens e adultos – Dafne Barbosa Cortez; Heitor Garcia de Carvalho 

4. A investigação do gênero digital portal educacional: uma possibilidade para o ensino e a aprendizagem de língua inglesa – Flávia Medianeira de Oliveira

22/10 (14:30-16:00)

1. Letramento Digital dos Professores da Rede Municipal de Ensino de São Bento do Sul – Maria da Graça Albino de Oliveira

2. Produção de aulas de língua portuguesa em suporte digital: desafios de quem produz – Ynah de Souza Nascimento; Carla  Alexandre Barboza de Sousa

3. Tecnologias na educação: questionando a aprendizagem pelas TICs – Edinéia Aparecida Chaves de Oliveira

4. Vídeo jogos como textos para letramento multimodal – Cecilia Amanda Souza Willi; Viviane Maria Heberle

Bloco D – sala 220

GT 36 – Análise (Crítica) do Discurso da mídia: gênero, poder e representações sociais revisitados

Coordenadores: Aleksandra Piasecka-Till (UFPR); Najara Ferrari Pinheiro (UCS)

20/10 (14:30-16:00)

1. Lula e o mensalão sob a ótica da Veja: uma análise de discurso crítica – Alessandra Coutinho Fernandes

2. A imagem (subliminar) da mulher e o bem-estar (físico) – Camila Quevedo Oppelt

3. Representações sociais de homoeróticos em anúncios pessoais eletrônicos – Vitor Hugo Chaves Costa

4. A comodificação feminina no Funk através de recursos linguísticos multimodais – Edinéia Aparecida Chaves de Oliveira

20/10 (16:30-18:00)

1. Análise (crítica) do discurso da mídia: gênero, poder e representações sociais revisitados – Débora de Carvalho Figueiredo

2. A construção da imagem do homem moderno: a avaliatividade na mudança do padrão estético – Luis Adriano de Souza Cezar

3. O ideal de masculinidade em Men’s Health: análise da representação do gênero nas capas da edição brasileira – Fabio Silva

4. Women’s Health x Men’s Health: como se representam homens e mulheres na capa dessas revistas – Ivete Bellomo Machado

21/10 (14:30-16:00)

1. Significados textuais acionais e identitários na mídia: uma avaliatividade do sistema – Fátima Andréia Tamanini-Adames

2. Os Negros pelos negros: uma análise da auto- avaliatividade – Gabriela Souto Alves; Sara Regina Scotta Cabral

3. O meio ambiente em foco: análise das notícias veiculadas pelo Jornal da Manhã (de Criciúma – SC) sobre o tema nos anos de 2004 e 2009 – Cláudia Nandi Formentin; Cláudia Viviane Viegas; Marília Köenig; Rosimeri Mizeeski; Gregori Nazário Flauzino

4. Redondo é rir da vida: as estratégias de polidez presentes nas propagandas publicitárias brasileiras – Maristella Gabardo; Elena Godói

22/10 (14:30-16:00)

1. Discurso sobre doenças cardíacas: o novo e o clássico na WEB – Jenice Tasqueto De Mello

2. Parâmetros discursivos para indexação da programação televisiva em um banco de dados audiovisuais: análise do programa Rede Mídia – Juliana Lopes Melo Ferreira Sabino; Giani David-Silva

3. Significados representacionais, identificacionais e acionais no discurso sobre bulimia e anorexia: Uma pesquisa com base na Análise Crítica do Discurso – Carolina Bithencourt Rubin; Ligiane Pessoa dos Santos Bonifácio

4. Representações sociais de gênero na mídia publicitária – Vera Lúcia Pires

Bloco D – sala 311

GT 37 – Fonologia e Morfologia do Português

Coordenadores: Gisela Collischonn (UFRGS); Elisa Battisti (UFRGS); Luiz Carlos Schwindt (UFRGS)

20/10 (14:30-16:00)

1. Estudos preliminares sobre os processos de sândi vocálico externo – destaque para a elisão – no Português Arcaico ao Português Brasileiro Atual – Ana Carolina Freitas Gentil Almeida Cangemi

2. “Da (não) realização de processos fonológicos no Português Arcaico: uma abordagem estilística” – Lívia Monteiro de Queiroz Migliorini

3. A relação entre as mudanças fonéticas, morfológicas e sintáticas do latim clássico ao latim vulgar e o papel das preposições via Teoria do Caso – Evellyne Patrícia Figueiredo de Sousa Costa

4. Os clíticos fonológicos nas cantigas religiosas galego-portuguesas – Tauanne Tainá Amaral; Gladis Massini-Cagliari

20/10 (16:30-18:00)

1. Tipologias fatoriais com generalizações implicacionais no estudo da variação fonológica – Elisa Battisti

2. A emergência de mais de um output: o modelo de ranqueamento ordenado e o tratamento da hipocorização – Carlos Alexandre Gonçalves; Hayla Thami da Silva

3. A elevação variável de /e/ em Flores da Cunha-RS – Natália Brambatti Guzzo

4. A Epêntese no Português Brasileiro (L2), em segmentos obstruintes em codas mediais de palavras, por falantes nativos do Espanhol Colombiano (L1): uma análise via Gramática Harmônica – Roberta Quintanilha Azevedo; Ubiratã Kickhöfel Alves

5.  As palavras funcionais do Português Brasileiro: uma análise sob a ótica da interface sintaxe-fonologia – Priscila Marques Toneli

21/10 (14:30-16:00)

1. Um estudo morfo-histórico em circunfixos do português – Caio Cesar Castro da Silva

2. Um estudo sobre a parassíntese no português brasileiro – Emanuel Souza de Quadros – Luiz Carlos Schwindt

3. Haplologia na formação de palavras envolvendo o sufixo -ção – Natália Cristine Prado

4. Afixos em L2: um estudo preliminar sobre ordenamento na aquisição de prefixos e sufixos em língua inglesa por falantes de português brasileiro – Guilherme Duarte Garcia; Luiz Carlos Schwindt

5. Compostos pós-lexicais [ND [de [N]]] – Magdiel Medeiros Aragão Neto

22/10 (14:30-16:00)

1. “Universais fonológicos” e o desvozeamento final de obstruintes – Estevão dos Santos Cogoy

2. Os glides e o acento no Português Brasileiro – Evilazia Ferreira Martins – mestranda

3. Uma discussão sobre as vogais médias em posição tônica – Maria José Blaskovski Vieira

4. A nasal palatal em coda e a ressilabação – Marisa Porto Amaral; Katiúscia R. de Campos

Bloco D – sala 312

GT 38 – Fala-em-interação social

Coordenadores: Neiva Maria Jung (UEM); Pedro M. Garcez (UFRGS)

21/10 (14:30-16:00)

1. O humor conversacional em situações de conflito – Letícia Rezende Stallone

2. A exibição de filmes como geradora de diferentes possibilidades de interação, práticas sociais e de construção de conhecimento em sala de aula – Lia Schulz; Marizete Bortolanza Spessatto

3. Em briga de ex-marido e ex-mulher, em vara de família, tem alguém que mete a colher: descrevendo as ações de uma terceira parte comprometida com a instituição em sequências de bate-boca empreendidas pelas partes – Roberto Perobelli de Oliveira

4. O arquétipo persona e a preservação da face na conversação – Vanessa Hagemeyer Burgo


 

 

© 2009 – CELSUL – Círculo de Estudos Linguísticos do Sul